Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Seções

JR Indústria Frigorífica

O cenário mercadológico internacional sinaliza um forte movimento mundial de consumidores à procura de alimentos que tenham sido produzidos de modo ambientalmente correto, socialmente justo e, ainda, que não ofereçam riscos à sua saúde

Faz parte da missão Origine oferecer produtos com alta qualidade e segurança para o consumo humano em estrita obediência à todas as exigências de uma produção sustentável. É neste sentido que é planejada cada ação desenvolvida pelo Grupo, nas cadeias produtivas das plataformas em que atua.

Nesse sentido, a JR Indústria Frigorífica é a empresa do Grupo Origine que será responsável pelo processamento industrial da carne de gado bovino de genética Akaushi. A atuação nesse elo da cadeia produtiva proporcionará ao Origine a obtenção de cortes de carne altamente especializados, oferecendo ao mercado internacional uma especiaria e não uma commodity.

Trata-se de uma Indústria Frigorífica de ponta, que se caracteriza pela alta tecnologia, pela racionalidade nos procedimentos e pela busca permanente da excelência em todos os processos. Note-se que tais características se configuram como essenciais ao negócio como um todo, não apenas pela contribuição à sua viabilidade técnica, pois assegura maior eficiência na produção da carne bovina Akaushi in natura, mas também pelo impacto positivo na viabilidade econômica do negócio.

A adoção da alta tecnologia estará presente, por exemplo, no envelope sanitário (linhas azul e branca que não se cruzam para evitar contaminação); no pré-resfriamento que qualifica o produto para qualquer mercado do mundo; na escolha de máquinas de alto desempenho; na presença da máquina que retira o couro dos animais; na prensa de alto rendimento; na atmosfera modificada; dentre outros.

Todas as máquinas e equipamentos adquiridos pela Indústria seguem a Norma Regulamentadora NR 12 – Segurança no trabalho em máquinas e equipamentos aprovadas pela Portaria nº 3.214, de 8 de junho de 1978 e com as alterações da Portaria do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) nº 857, publicada dia 26/06/15.

Os animais a serem abatidos e processados na JR Indústria Frigorífica serão oriundos do Confinamento Origine – no caso de animais da raça Akaushi – de outros confinamentos, ou ainda diretamente dos produtores parceiros, podendo, nos dois últimos casos, serem animais com a genética Akaushi e também de outras raças.

Uma vez recebidos na Indústria, os animais serão encaminhados aos currais, ambientados, apropriadamente higienizados e então conduzidos, um a um, em direção à sala de abate. A infraestrutura escolhida para a área de recebimento, condução à sala de abate e armazenamento é inteiramente focada no cumprimento das normas do “bem-estar animal”, a fim de evitar o desconforto e o estresse dos animais durante o processo.

O diferencial do Origine no abate humanitário – que é uma exigência da Portaria no 524, de 21 de junho de 2011, do MAPA, das recomendações do Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e de normas internacionais – está na escolha do Sistema Grandin, considerado um método inovador, focado no conceitos de manejo racional e bem-estar de rebanhos bovinos, elaborado por Mary Temple Grandin.

A JR Indústria se distingue por permitir variados tipos de abates, atendendo inclusive às modalidades Halal e Kosher, criando a possibilidade da produção ser destinada a países do Oriente Médio, aspecto essencial à diversificação de mercados.

Além de tudo isso, ressalta-se que os aspectos ambientais serão observados em todos os processos, buscando-se a economia de materiais, a redução de desperdícios, a adequada destinação dos resíduos sólidos e líquidos, a mitigação dos impactos negativos e o aproveitamento dos subprodutos tais como gordura, sangue e ossos.

Para o Origine, gerar energia por meio dos resíduos é uma forma de aliar consciência do exercício de cidadania à preservação do meio ambiente, com a reciclagem e a geração do recurso energético, por meio do aproveitamento dos materiais como fonte de combustível. Com base nisso, o grupo criou o Projeto de Gerenciamento de Resíduos do Origine, com a missão de gerar novos empregos, criar estrutura para novos parques fabris, além de propiciar uma conscientização a cerca do que pode ser feito com o lixo, que culturalmente é colocado fora dos olhos do cidadão e pouco aproveitado.

Finalmente, vale destacar que a fim de garantir ao mercado o atendimento de todas as exigências e fornecer as informações acerca do seus produtos e processos produtivos o Grupo faz questão de empregar, em todo o ciclo produtivo, as ferramentas denominadas rastreabilidade e certificação.
A Indústria, cuja licença ambiental de instalação já foi obtida, deverá ter suas obras iniciadas ainda em 2017, tendo previsão de iniciar seu funcionamento no primeiro semestre de 2019.

A localização das instalações industriais será no município de Estreito, no Maranhão, escolhido em função de alguns fatores, tais como: facilidades logísticas encontradas na região; capacidade de atender suas necessidades de acesso à matérias-primas e de escoamento da produção; existência de atividade pecuária tradicional e, predominantemente, extensiva; grande disponibilidade de água e grãos para a alimentação do gado; o fato de a atividade vir a representar incentivo a outros agentes econômicos já que trata-se de região onde as atividades tradicionais oferecem poucas oportunidades à mão de obra.